Está aqui
Inicio > Loures > Nuno Botelho – O PSD Loures, a Comunicação e o Mandato Autárquico

Nuno Botelho – O PSD Loures, a Comunicação e o Mandato Autárquico

Grande entrevista com o Vereador do PSD – Loures, Nuno Botelho, em 10 de Maio de 2018, que dividimos em três partes. A primeira dedicada ao mandato anterior a que chamámos – “Erros e Omissões no Passado”, a segunda a que chamámos “Eleições, Campanha Eleitoral e Gestão do Poder” e a terceira, “Momento Atual”, que abarca a visão do Vereador Nuno Botelho sobre o atual estado da coisa pública no concelho de Loures.
Um denominador comum ao longo de toda a conversa – A Comunicação.

ERROS e OMISSÕES NO PASSADO

Notas: “Primeiro as Pessoas”, mandato de 2013-2017. A homenagem a Fernando Costa. Subimos 60 posições no ranking do turismo. A Polícia Municipal. Perder a oportunidade de aproveitar o trabalho que foi feito. As tricas políticas – O PSD não sabe estar no poder em Loures. As pessoas acomodaram-se aos lugares. O PSD fechou-se em si mesmo e não conseguiu passar para fora… Membros da Comissão Política que não sabiam o trabalho que foi feito. Fernando Costa e André Ventura – a Empatia e a figura mediática. A Dívida e Gestão Financeira da CDU que muito deve ao PSD.

ELEIÇÕES, CAMPANHA ELEITORAL e GESTÃO do PODER

Notas: O PSD perdeu as eleições por culpa própria. A gestão do conflito na Portela/Moscavide e o impensável aconteceu. O PSD não se preocupou em arranjar o melhor candidato. As indecisões da Comissão Política. Apoio ao Nelson Batista, Presidente da CPC para segundo mandato no período eleitoral. Quando o PCP pediu a maioria absoluta cometeu um grande erro. As tarifas do SIMAR. Os Presidentes de Junta e os interesses mais locais e a natureza humana.
O PSD devia ter feito um outdoor a dizer as propostas que fez e que o PCP não aceitou e que explica o voto contra o Orçamento. O outdoor “A Verdade” pouco diz às pessoas e é um erro.
Nelson Batista, ajudá-lo a comunicar e a ganhar.

O MOMENTO ATUAL

Notas: Sempre tive a liberdade de dar as nossas opiniões. O Partido Comunista começa a perceber que não ganhou com maioria absoluta as eleições e começa a perceber que a política do quero, posso e mando, não é a que os eleitores escolheram. Não tenho prazer em fazer Oposição. O Caneiro de Sacavém e a posição do PSD que obrigou a uma reunião extraordinária da Câmara.
Não estamos num recreio de miúdos.
Não há qualquer prazer em chamar a atenção para a falta de informações nos pontos que vão a reunião de câmara.
O que se espera da nova Comissão Política do PSD e o apoio à CPC.
O PSD é um partido de estabilidade política e o PCP tem de estar disponível para consensos.
Mais uma vez, a falta de comunicação. (A falta de informação sobre a nova CPC do PSD)
Cem militantes a votar para a eleição da CPC não é positivo para o PSD.
O erro da criação dos Núcleos. A necessidade da CPC apresentar ideias claras. Há uns arautos que acham que a Câmara deve cair.
O escândalo da Habitação Social. A segurança e a falta de apoio da Câmara à PSP e GNR na manutenção dos veículos.
Mobilidade e Transportes, Segurança e Habitação Social são as grandes áreas do programa do PSD.
Este executivo (PCP) é o maior bluff que existe à face da terra no que toca aos transportes.
As pessoas não pagam a renda (habitação social) porque também não vêem da parte da Câmara uma proatividade na manutenção do seu património. A política do PCP na Câmara é não chatear e não perder votos.
Os “Caciques” nas autarquias são as Associações e os Partidos usam-nas como saco de votos.
Nós temos de ter a coragem no PSD de tomar posições sobre estas matérias do associativismo.

Top