Está aqui
Inicio > Educação > FERLAP – A Greve dos Professores, as Escolas e os Alunos

FERLAP – A Greve dos Professores, as Escolas e os Alunos

Recebemos da FERLAP o seguinte comunicado de imprensa:
A Greve dos Professores, as Escolas e os Alunos
Na sequência da Greve Nacional de Professores e Educadores, marcada para os dias 13, 14, 15 e 16 de Março de 2018, a FERLAP – Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais, vem tornar pública a sua posição sobre um assunto tão importante como é uma Greve de Educadores e Professores.
Assim, entendemos que:
• A Greve é um direito e por isso tem que ser respeitada,
• O direito à Greve tem que ser exercido no local de trabalho,
• A Escola que defendemos, apenas se consegue com a dignificação dos profissionais que a compõem, Professores, Técnicos, Auxiliares de Acção Educativa e Administrativos,
• Os Direitos implicam sempre Deveres e se, defendemos o Direito à dignificação de carreiras, exigimos que cumpram o Dever de dignificar a carreira, com tudo o que isso implica,
• As Associações de Pais não são associadas de nenhum Sindicato,
• As Associações de Pais existem para defender os Pais, os Alunos e a Escola (instituição),
• Os Pais têm o direito de trabalhar e de defender o seu posto de trabalho.
Dito isto, somos a solicitar ao Ministério da Educação e aos Sindicatos que clarifiquem os seus funcionários e os seus associados sobre o seguinte: a Greve de Professores e Educadores, implica a interrupção das Actividades Lectivas, ou seja, se quem lecciona, não o faz, os Alunos não têm Actividades Lectivas. Estamos certos que tanto o Ministério da Educação, como os Sindicatos, entendem o que pretendemos com esta solicitação.
Vem isto a propósito do seguinte: há Associações de Pais que desenvolvem ATL nas
suas Escolas, havendo Greve, esse serviço é oferecido no horário da Greve. Se há
Agrupamentos e/ou Escolas onde isso é entendido com normalidade, outros há que,
com o argumento de que o ATL é apenas desenvolvido fora do Horário Lectivo e/ou
nas interrupções Lectivas, tentam evitar que as Associações de Pais ofereçam o serviço
que os ATL prestam, o acompanhamento dos Alunos nas interrupções Lectivas.
Claro que o problema acima apenas se coloca porque, embora a Greve seja apenas
dos Educadores e dos Professores, o Ministério da Educação, através das Direcções dos
Agrupamentos/Escolas não Agrupadas, entende, mesmo sendo a Greve apenas às
Actividades Lectivas, que as Escolas devem encerrar os serviços.
Entende a FERLAP que os Professores e os Educadores têm o Direito de fazer
Greve. Mas, nunca esquecendo que os Pais têm o direito de trabalhar. Para que
possamos usufruir do nosso direito, caso seja necessário, temos algumas ideias que
podem ajudar, algumas já apresentadas nos nossos comunicados de 2 e 16 de Junho
de 2017.
É importante que não se esqueça, TODOS TEMOS DIREITOS.
Isidoro Roque
Presidente CE

Top